Sophia M Breyner

Sophia de Mello Breyner Andersen
Vida e Obra
Sophia de Mello Breyner Andresen, nascida no Porto a 6 de Novembro de 1919, morreu aos 84 anos, no dia 2 de Julho de 2004. De formação em Filologia Clássica, da Universidade de Lisboa, foi uma das importantes poetas portuguesas do século XX, membro da Academia das Ciências de Lisboa e distinguida com o Prémio Camões em 1999, tornando-se a primeira mulher portuguesa a receber este importantíssimo galardão literário. Em 1964 tinha recebido o Grande Prémio de Poesia outorgado pela Sociedade Portuguesa de Escritores pelo seu Livro Sexto, em 2001 O Prémio Max Jacob de Poesia e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana em 2003.

Sophia é ainda a tradutora para português de Dante, Shakespeare e Eurípedes, entre outras obras. Também traduziu para francês poemas de Camões, Cesário Verde, Mário de Sá-Carneiro e Fernando Pessoa.

Leitura Escultórica
Escultura

Representação das mãos como entrega. Referência a outra figura iconográfica da cultura portuguesa: Rainha Santa mostrando as rosas. Neste caso são poemas. Traje grego como uma clara alusão à representação clássica da sua poesia. A evidência dos seios aponta o estatuto da mulher que alimenta o nosso espírito poético. Guardiã do Templo da Poesia.

Leitura Poética
Profundidade mediterrânica na sua tonalidade, a linguagem poética de Sophia denota uma sólida cultura clássica, onde se inscreve a sua paixão pela antiguidade grega como referente quase sempre presente e onde a relação do signo com o mundo circundante é uma relação de transparência e luminosidade.

Leitura Paisagística
Folha

Voz da sua época onde ecoam as raízes da cultura ocidental: é o templo da cultura clássica grega que acolhe a escultura do poeta. A beleza literária é indissociável da paisagem mediterrânica.

Ver mais. Clique aqui.
Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.

Seja sociável, partilhe !

    Deixar uma resposta