Florbela Espanca

Florbela Espanca
Vida e Obra
Florbela Espanca nasce em 1894, em Vila Viçosa e faz os estudos liceais em Évora. Em 1919, parte para Lisboa, onde frequenta o curso na Faculdade de Direito. Nesse mesmo ano, publica o seu primeiro livro de poemas, O Livro das Mágoas. Colabora literariamente em diversas revistas e jornais, tais como O Notícias de Évora e a Seara Nova.

Florbela Espanca foi uma mulher nascida antes do tempo. Há na sua vida e obra uma dolorosa nostalgia do futuro, porque nele pressente outras formas de liberdade para a mulher, que a sua época lhe negou. Tudo na sua vida é luta permanente para ser de corpo inteiro: amores e desamores, sonhos e decepções, literatura e reconhecimento. Dos seus três casamentos não nascem filhos. Suicida-se, no dia em que faria 36 anos de idade, em Matosinhos.

Leitura Escultórica
Escultura

Os braços e as mãos de Florbela estão numa postura que deixa antever entre eles e o corpo uma abertura para a luz que vai definir o recorte da anca e do torso. Os pés são “excessivos” na posição em que estão, o que tem a ver com a própria sustentação da escultura. Foi esculpida em pedra Verde-Serpa, o Rosa-Creme de Vila Viçosa, de onde era natural, e o Negro de Ruivina (na cabeleira).

Leitura Poética
A poesia de Florbela a que a escultura faz referência denuncia uma mulher para além do seu tempo, lutando contra os preconceitos a favor do amor livre. Poesia da resistência. A pose de sensualidade é da poetisa que encontra na catarse a libertação e a grita a plenos pulmões ao mundo!

Leitura Paisagística
Folha

Espaço fechado – o pátio – metáfora de uma clausura, sem janelas para o mundo.

Ver mais. Clique aqui.
Consulte a sua obra no catálogo das Bibliotecas Municipais de Oeiras. Clique aqui.

Seja sociável, partilhe !

    Deixar uma resposta